Últimas postagens

O portal

Inaugurado em 25 de março de 2016, Crimes Nazistas possui dois objetivos principais: a) divulgar informações, documentos, pesquisas historiográficas e outros conteúdos sobre crimes nazistas e justiça no pós-guerra; b) estimular pesquisas acadêmicas que envolvam temas deste universo, quer no âmbito da graduação ou da pós-graduação. Além das políticas de punição, cujo início remonta ao início da Segunda Guerra Mundial e se desenvolve em diferentes sentidos após o conflito, originando tribunais e julgamentos em diversos países, o portal vai abordar vários outros tópicos, tais como: a extensão dos crimes nazistas em si, o destino dos criminosos que escaparam da justiça, os múltiplos desafios das forças aliadas nas diferentes zonas de ocupação do imediato pós-guerra, o imaginário político criado em torno dos criminosos nazistas, entre outros não menos importante. Embora concentrado na área de história, Crimes de Guerra possui caráter interdisciplinar, dialogando  com vários outros campos do conhecimento.

Os estudos sobre a situação dos perpetradores nazistas no pós-guerra não é recente. Ainda na segunda metade dos anos 1940, quando os americanos iniciavam a ocupação da Alemanha, historiadores e juristas já produziam, por exemplo, uma expressiva literatura acadêmica sobre o processo de desnazificação e os famosos julgamentos de Nuremberg. Nos anos 1950, 1960 e 1970, esses estudos tiveram altos e baixos. Nos últimos trinta anos, acompanhando mudanças significativas na historiografia do Holocausto, eles finalmente floresceram. A partir da década 1980, principalmente, compreendeu-se que as políticas de punição, os julgamentos, as comissões de crimes de guerra, os tribunais e as vias de fuga usadas por diversos criminosos, apenas para citar alguns temas que compõem o universo de Crimes Nazistas, são fundamentais para melhor compreender o nazismo, o Holocausto, o funcionamento do Terceiro Reich e a construção do mundo no pós-guerra. Debruçar-se sobre este vasto e ainda pouco inexplorado território coloca a nós, historiadores, diante de uma questão inquietante e desafiadora: como governos, instituições e sociedades do pós-guerra lidaram com a dimensão monstruosa dos crimes nazistas? Este é uma pergunta que nos acompanhará em cada postagem. Seja muito bem-vindo(a)!

Bruno Leal Pastor de Carvalho – Editor de Crimes Nazistas

Doutor em História (PPGHIS/UFRJ) – Professor História-UFF